Publicado por em dez 6, 2012

Atualmente a consciência ecológica e o consumo ético estão cada vez mais presentes na hora de tomarmos decisões. Empresas e consumidores buscam adotar soluções que agridam menos o meio ambiente. As empresas, por um lado, trabalham em pesquisa para desenvolver produtos que sejam biodegradáveis, recicláveis ou que possam ser aproveitados de outra forma após o seu uso. Já os consumidores escolhem produtos que tenham essa preocupação embutida, na tentativa de incentivar outras empresas a investir em alternativas que sejam menos prejudiciais ao ecossistema.

O fato é que a sustentabilidade é discutida amplamente por todos e pode ser praticada de inúmeras maneiras. Pequenos atos, como a separação do lixo doméstico, o aproveitamento de papel impresso como folha de rascunho, a utilização de sacolas de tecido ou de sacolas trazidas de casa para colocar compras, o uso racional da água evitando desperdícios e a reutilização de materiais, são valiosos e contribuem muito para a preservação do ambiente em que vivemos.

Já as empresas podem atuar de forma mais ampliada, não só realizando palestras para conscientizar seus funcionários, mas também através de gestos concretos como escolher materiais recicláveis para seus produtos, dar uma finalidade útil às sobras de materiais resultantes de processos industriais ou até mesmo ter um departamento destinado a pesquisas na área de sustentabilidade.

Vemos muitas empresas associarem suas marcas às questões ambientais e ecológicas, mas nem sempre a postura que adotam é condizente ao plano de preservação da biodiversidade que dizem assumir. Nestes casos, a preocupação com a utilização racional de recursos naturais não passa de vã filosofia, ou seja, torna-se apenas uma jogada de marketing totalmente infundada.

Apesar disso, o movimento pró-preservação da biodiversidade e dos ecossistemas naturais tem sido levado muito a sério por grandes empresas do mercado nacional e internacional, que vêm impulsionando outras a assumirem os mesmos compromissos. Algumas redes de varejo, por exemplo, estão incentivando seus fornecedores a terem uma maior preocupação com o ambiente, durante o desenvolvimento de seus produtos e após o seu uso. O incentivo é feito através de sistemas de recompensa, ou seja, aos fornecedores engajados com a sustentabilidade é oferecido melhor posicionamento e exposição de seus produtos em suas lojas. Já outras empresas oferecem desconto na compra de produtos caso o consumidor leve as embalagens utilizadas para serem recicladas. Isso ajuda a estimular o envolvimento de toda a população e de empresários no processo de coleta seletiva e reciclagem.

Enfim, cada ação nossa não é um ato isolado, gera consequências na vida das pessoas. Podemos sim colaborar para a preservação do nosso planeta com pequenas atitudes que, quando somadas a de outros, podem viabilizar a construção de um mundo melhor. É só começarmos a fazer a nossa parte.