Publicado por em dez 6, 2012

Sempre que surge esta dúvida, buscamos elementos de orientação para nos localizarmos e definirmos qual será o caminho mais adequado. Fazemos escolhas diante de um sistema de símbolos que é apresentado à nossa frente. A escolha certa ou errada depende muitas vezes da eficiência de um bom sistema de sinalização. Se não compreendemos bem a informação que é transmitida e continuamos com a dúvida, certamente não houve um bom planejamento durante a concepção deste sistema.

Todo sistema de sinalização deve orientar de forma rápida e sucinta, fornecendo informações claras, simples e diretas, que sejam facilmente compreendidas, para organizar bem os espaços. Ele não pode gerar dúvidas, mas deve orientar o fluxo de pessoas de forma adequada, para que todos possam locomover-se e encontrar o que procuram.

Um projeto de sinalização deve ser de fácil reconhecimento por pessoas com padrões culturais diferentes. Lugares com grande fluxo de gente, que recebem pessoas de várias partes do mundo, como aeroportos, rodovias internacionais, shoppings e pontos turísticos, exigem um projeto de sinalização muito bem elaborado, que preveja as mais variadas interpretações possíveis. Você já se imaginou estar perdido em um aeroporto no exterior, em um país que você não fala a língua e que tem uma cultura bem diferente da sua? A compreensão errada de determinado sinal ou símbolo pode ocasionar a perda de um vôo, acarretando atrasos na viagem. Em situações semelhantes a essa, a linguagem simbólica se torna imprescindível. A representação gráfica de local para “embarque” e “desembarque” pode ser facilmente traduzida. Para isso, são criados padrões formais universais que sejam facilmente reconhecidos para determinado tipo de atividade, local ou serviço.

A construção de um sistema de sinalização envolve a criação de elementos gráficos, como pictogramas e setas, e a aplicação de textos em uma tipografia específica. O texto pode ser formado a partir da escolha de uma fonte já pronta, de uma adaptação ou também a partir do desenho de uma nova fonte. A definição da tipografia é imprescindível para o entendimento da informação em questão. Para isso, deve ter boa visibilidade e leitura, ou seja, deve ser vista a uma determinada distância e as formas de suas letras não podem ser confundidas.

Os sistemas de sinalização não podem causar dubiedade, as pessoas devem segui-los instintivamente, não podem parar para refletir sobre o quê ele está indicando, especialmente se tais informações forem lidas em movimento rápido, como em rodovias. Por isso, devem ser utilizadas palavras simples e de preferência curtas, em uma boa disposição e com um bom tamanho. Além disso, a hierarquia dessas informações deve ser bem determinada, e deve ser definido o quê será visualizado através de meio verbal (textos) e o quê será a partir de símbolos pictográficos.

A sinalização deve informar especialmente os usuários não freqüentes, que desconhecem o local ou ambiente. Para uma pessoa que costuma circular nesse meio, ela não se torna tão fundamental, pois a pessoa já consegue identificar claramente todas as áreas que precisa encontrar.

É bom salientar que um sistema de sinalização não se resume a um projeto gráfico bem realizado. O posicionamento adequado de cada peça de sinalização é imprescindível. As informações devem estar nos locais certos e seguindo uma hierarquia, caso contrário irão desorientar. Os espaços a serem sinalizados devem ser definidos a partir de um estudo detalhado da planta do ambiente em questão.

Para verificar se o sistema criado é realmente funcional, o ideal é realizar testes com pessoas que desconhecem totalmente o lugar e que não possuem informação prévia. Se elas se sentirem seguras, confortáveis e bem orientadas é um sinal de que o projeto foi bem implementado.

Para conhecer projetos realizados nesta área, clique aqui e veja projetos de Sinalização de Ambientes em nosso Portfolio.