Publicado por em maio 27, 2013

Em tempos de acesso à internet através de dispositivos que vão muito além de simples desktops e notebooks, é fundamental que os projetos desenvolvidos para web sejam concebidos para serem utilizados em plataformas diversas, com o objetivo de se garantir o acesso à informação independente do meio que o usuário irá utilizar para acessá-la.

No desenvolvimento de websites, para que o layout seja preservado e o conteúdo seja sempre exibido de forma correta e na íntegra, são utilizados critérios que se baseiam nos padrões de dispositivos produzidos pela indústria. Uma das características destes dispositivos que tem uma grande variação, por exemplo, é o tamanho da tela e a sua resolução.

Falando do lado de quem trabalha com implantação de projetos para a web, a sensação de que estamos nos baseando em regras que se alteram a todo momento é constante. Diariamente, novos produtos são lançados no mercado e, consequentemente, novos critérios são adotados. Desta forma, a quantidade de possibilidades de visualização de um site através destes dispositivos e softwares acaba sendo infindável. Ele pode ser visto, por exemplo, em um monitor de 20 polegadas e, ao mesmo tempo, em um smartfone, que tem sua tela com 1/10 desta dimensão.

Neste contexto, seria necessário construir, literalmente, “soluções sob medida” para cada perfil de usuário, ou seja, o projeto do website deveria considerar que seriam desenvolvidas versões específicas para todos os dispositivos diferentes que houvesse no mercado. A utilização deste critério, consequentemente, implicaria em um custo de desenvolvimento muito elevado. Mas como tornar estes projetos economicamente viáveis sem comprometer a sua eficiência?

A orientação a ser seguida, atualmente, é desenvolver uma só solução mas que seja sensível aos diversos dispositivos nos quais ela poderá ser exibida, onde layout e conteúdo são flexíveis e adaptáveis. Neste caso, no momento do acesso ao site, uma programação específica identifica o dispositivo que está sendo utilizado e, automaticamente, ativa o perfil compatível. Um site, por exemplo, que apresente a sua página inicial com diversos menus, imagens e destaques em sua versão para monitor convencional, pode ter a sua versão para smartphone sintetizada, reduzindo imagens e suprimindo alguns itens redundantes com o objetivo de se aproveitar melhor o espaço disponível para colocar as informações mais relevantes. Este é o princípio básico do Design Responsivo. Ao invés de um projeto contendo diversos sites que contemplariam situações específicas, e com um custo muito mais elevado, uma só solução que tenha capacidade de se adaptar aos diversos cenários apresentados. Tudo pensado, claro, em uma melhor experiência de navegação por parte do usuário.

O site da Interligar possui Design Responsivo. Para ver como funciona, reduza a tela de seu browser para tamanhos diversos (se você estiver em um desktop) ou acesse-o de dispositivos diferentes.